Notícia do Curso de Micologia Aplicada – A Produção Caseira de Cogumelos

Leia nesta notícia:

Como correu o curso? e Porquê um curso de cogumelos na Aldeia das Amoreiras?

Fotografia: Coprinus comatus.

Como correu?
No passado Sábado e Domingo, 6 e 7 de Março 2010, decorreu na Aldeia das Amoreiras um curso de cogumelos que superou todas as expectativas!
Pela manhã de Sábado fomos fazer um percurso para aprender as espécies de cogumelos comestíveis que existem na região para além dos famosos Cantarelos.
Uma das espécies mais interessantes que nos foi apresentada chama-se Coprinus comatus e tem o nome vulgar de Gota de Tinta ou Coprino Cabeludo. Este cogumelo além de comestível enquanto branco, produz uma tinta preta com a qual se escreveu a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América.

Além de apanharmos muitas espécies de cogumelos apanhámos uma grande molha que nos refrescou as ideias para durante a tarde aprendermos toda a teoria sobre a criação de cogumelos saprófitas decompositores em casa, nomeadamente as conhecidas Púcaras. Aprendemos ainda a reproduzir e aumentar a frequência dos cogumelos Cantarelos na floresta e aproveitámos os jantar para aumentar a sua frequência deliciosa no prato! No Domingo de manhã pusemos todos os conhecimentos em prática inoculando os esporos das Púcaras no trigo e na palha.

Dos esconderijos dos 15 participantes deste curso esperamos que nasçam muitos fungos por forma a fomentar a soberania alimentar e o auto-emprego deste nosso país tão húmido nos dias que correm.

O mais especial de todo curso foi mesmo o conhecimento, experiência e capacidade de comunicação do formador Pedro Prata, literalmente mestre na matéria em causa.

Algumas fotografias estão já disponíveis no site do gaia em http://www.gaia.org.pt/v/alentejo/Curso+de+Micologia+Aplicada/.

Porquê um Curso de Cogumelos na Aldeia das Amoreiras?
Consideramos que o território tem de estar habitado para que se possa aproveitar a diversidade de recursos naturais que existem nas paisagens portuguesas. Para tal, é necessário encontrar formas de viabilizar a permanência das populações e encontrar rendimentos através da exploração sustentável dos recursos naturais locais.

A propósito citamos o Prof. Dr. António Covas no seu livro Ruralidades III a propósito dos “Temas e Problemas da Ruralidade pós-agrícola e pós-convencional” (2008):
Ainda não se percebeu claramente que numa óptica estritamente competitiva não há lugar para todos os territórios, logo, se não quisermos que o país fique em boa parte devoluto e à mercê de lógicas rentistas que nos são estranhas, é imprescindível que o país considere o ordenamento e a correcta ocupação do território como um verdadeiro e renovado problema de soberania.

No Centro de Convergência continuaremos a organizar formações aplicadas para o desenvolvimento sustentável da Aldeia das Amoreiras e envolvente.
Se tiver uma sugestão contacte-nos e saiba mais em www.centrodeconvergência.org!

Saudações ecológicas,

Centro de Convergência e GAIA Alentejo
André Vizinho

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Desenvolvimento rural, Ecologia, Eventos passados, Permacultura

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s